terça-feira, 17 de outubro de 2017

A PRINCESA MANOELA


Pelo tanto que to sofrendo Vou acabar me perdendo Nos confins da Conchinchina Lingüiça na gamela Os cachiados da Manoela Me perturbam a retina E é por isso que não largo dela Os lábios quentes da Manoela Cada beijo um tirombaço Que me arrebata de desejos Não vivo sem seus beijos Muito menos do abraço Da princesa da cidade Toda nossa felicidade Tem o jeito da Manoela Boca torta e desdentada Mas é minha namorada E não sei viver sem ela! Escrito as 21:57 hrs.,. de 17/10/2017 por Nelson Ricardo

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

ASTA LA VISTA BRASIL


Nem sei por onde começar Sei que tenho de embarcar Para Santiago do Chile Será no dia sete de janeiro Deixarei o solo brasileiro Pensei em ir de uno Mille Ou até mesmo de avião Mas a verdade é que a condução Será um ônibus coletivo Sento na poltrona e apago Com destino a Santiago Mas o meu sexto sentido Aponta-me na retina Que em Cordoba na Argentina Pararemos pra descançar Depois na Santiago bela Michelle Bachellê estarei com ela Marcando a data para nos casar! Escrito as 15:55 hrs., de 16/10/2017 por Nelson Ricardo

PASSARINHO CANTA NA PRAÇA


O vento sacode a paineira Em plena segunda feira E um silencio absoluto Sorvendo o chá com torradas Costumes das manhãs ensolaradas Temos o relógio matuto No girar do ponteiro dos segundos Os pensamentos tão profundos Em saber que o tempo passa Num mundo sempre tirano Ao aproximar do fim do ano Passarinho canta na praça E o povo toma sorvete Tenho que mandar bilhete Para a amada que não responde Fico com raiva e xingo Ela saiu foi no domingo Esta escondida, não sei onde! Escrito as 10:38 hrs., de 16/10/2017 por Nelson Ricardo

sábado, 14 de outubro de 2017

PÁSSARO VOADOR


Um pedaço do meu sertão Lá vou eu na mata virgem do coração Colher as flores do mal me quer Levo a viola da minha vida Pensando na mulher querida Verdadeiro pedaço de mulher Que tem seu sangue no meu sangue E quando eu atolo inteiro no mangue Tentando atravessar ao outro lado Eis que deparo com a inda pele morena Pronto, ali nasceu um outro poema Embora sabendo do infeliz pecado Sei que tenho que prestar conta em casa Pássaro voador bate a asa Pra tentar um acordo de separação Estou falando a verdade e não minto A mulher querida cortou o meu pinto Com o fio de aço de um enorme facão! Escrito as 16:42 hrs., de 14/10/2017 por Nelson Ricardo

A MENINA DOS DENTES BRANCOS


Na chegada eu deparei Pedi licença e entrei Guardei meu guarda chuvas Era o clube da saudade Investi-me da liberdade Diante de uma bacia de uvas A menina dos dentes brancos Que calçava um par de tamancos Seus dentes pareciam de marfim Fez-me sinal que sentasse-me Estava ligada a tevê E ela continuou sorrindo pra mim Percebi que lhe era interessante Para seus olhos de diamante Azul, mas muito azul da cor do mar Ainda hoje sonho com ela Foi à princesinha mais bela Com quem não quis namorar! Escrito as 11:00 hrs. em ponto de 14/10/2017 por Nelson Ricardo

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

LA PALOMITA


Lá palomita que muito voa Digo-te que não é uma boa Fique aqui no meu quintal Se voar voe baixinho Que seguirei teu caminho Com o faro de um animal Que não vive sem sua fêmea És toda minha alma gêmea Quero-te por favor entenda Estás programada na medida És o ar de minha própria vida E fostes feita sob encomenda Para as noites de verão Na sauna quente da paixão Na quentura algoz do calor Seguirei todos os seus passos Pra prender-te nos meus braços E te dar aulas de beijos e de amor Escrito as 15:37 hrs., de 13/10/2017 por Nelson Ricardo

PAIXÃO CALIENTE


Mas que viola chorona esta Trilha sonora da sesta Pra depois de meio dia No leito da felicidade No custo zero da liberdade No barraco da harmonia A amada amante repousa Ficou escrito na lousa Da aula da faculdade Seu descanso era o leito Cabecinha no meu peito Quem sabe pra eternidade Nas profundezas do saber Porque nos dois vamos coser A vida do jeito que for Na paixão mas caliente Que quando se ama se sente O espocar de fogos do amor! Escrito as 09;59 hrs., de 13/10/2017 por Nelson Ricardo