quarta-feira, 26 de julho de 2017

LEVADO AOS VENDAVAIS


Assim desse jeito eu vou Só pra ver o que sobrou Da festa do ano passado Menina namorou comigo Depois me impôs o castigo De me deixar de lado Chorei e sofri de mais Até o canto dos pardais Não ouço nos meus ouvidos A comida não tem sabor Se não tenho mais seu amor Nem sinto os cinco sentidos Por outro me trocastes Eu ouvi que me falastes Que me amava por demais Depois me deu um pé na bunda Que minha alma se afunda Fui levado aos vendavais! Escrito as 18:03 hrs., de 26/07/2017 por Nelson Ricardo

NA ILHA DO AMOR


Naquela ilha deserta Em que o sonho desperta Acordei de madrugada Com aqueles ventos medonhos Voltei dos profundos sonhos Abraçado a bem amada Estava na ilha mesmo E fiquei pensando a esmo Como é boa a liberdade Antes eu era um estressado Agora durmo abraçado Nos braços da felicidade O que eu quero mais da vida A que outrora foi sofrida Sou alguém que não desiste A paz que agora desperta No mundo da ilha deserta O amor ainda existe! Escrito as 15:05 hrs., de 26/07/2017 por Nelson Ricardo

COMO AS ÁGUAS DO OCEANO


Que linda é a vida Uma coisa ungida Pelo mestre Deus As paisagens deslumbrantes E a música do Guilherme Arantes Adormeço nos pensamentos meus É, mais o passado ta indo Sei que o fim, vem vindo O que que eu posso fazer A não ser curtir a vida Não existe outra saída É deixar acontecer Colhendo frutas no mato Eu encerro este relado A vida é sim um primor Tenho alguém que me amas Que agora mesmo me chamas É hora de curtir o amor! Escrito as 10:59 hrs., de 26/07/2017 por Nelson Ricardo

terça-feira, 25 de julho de 2017

COMO AS ÁGUAS DO OCEANO


Música clássico encanta Porque o ânimo levanta Como as águas do oceano Eu fico louco de paixão Mergulhando na ilusão Parecendo um cara insano Ainda mais quando te vejo Recordo daquele beijo Dentro do elevador Tu me chamando de sábio E mordendo o meu lábio Enchendo-me de amor Escrevo aqui sorrindo Espere que já estou indo Para irmos ao cinema No horário das oito e meia Assim que terminar a ceia E concluir este pema! Escrito as 19:37 hrs., de 25/07/2017 por Nelson Ricardo

PITADA E MEIA DE AMOR


Começar tudo de novo Com poesias para o povo Porque a poesia alimenta Falando sempre com calma Para fulminar a alma Pitada e meia de pimenta Fica mais interessante E é então que nesse instante Eu ancoro meu barquinho No porto da solidão Pra comer meu macarrão De molho, só um pouquinho Construo um castelo De um estilo muito belo Barreado e meio sem cor É nessa bela morada Que eu e minha amada Vamos viver de amor! Escrito as 17:38 hrs., de 25/07/2017 por Nelson Ricardo

segunda-feira, 17 de julho de 2017

UM FRANGOTE SAGAZ


Não tenho canceira nenhuma Então vai ai mais uma Das poesias que faço Levando minha saudação Num forte aperto de mão E também um abraço Eu sou da terra do poente Mas também do sol nascente A estrela D’alva é minha paz Nasci num barracão de zinco Quando faltavam dez pras cinco Virei um frangote sagaz Com uma franga em cada terreiro Já construí um bom poleiro Pras noites frias de geada Mas sou de fibra forte Quero uma franga do lado norte Pra ser minha namorada! Escrito as 16:38 hrs., 16:39 hrs., de 17/07/2017 por Nelson Ricardo

SEMPRE COM CRISTO


Se for, vou sentir saudade Vou para a grande cidade Visitar o templo da igreja Aquela criada por Deus Que recebe os pedidos meus Onde quer que eu esteja Quero com ele estar quisto Sou da Igreja de Jesus Cristo Dos santos dos últimos dias A quem entrego meus pecados E fiz convênios e tratados Eu quero o píncaro das alegrias Arrepender-me de meus erros Subindo de joelhos os serros Expressando os sentimentos meus Meus sacrifícios eu insisto Para estar sempre com cristo O filho amado de Deus! Escrito as 14:36 hrs., de 17/07/2017 por Nelson Ricardo