quarta-feira, 26 de julho de 2017

LEVADO AOS VENDAVAIS


Assim desse jeito eu vou Só pra ver o que sobrou Da festa do ano passado Menina namorou comigo Depois me impôs o castigo De me deixar de lado Chorei e sofri de mais Até o canto dos pardais Não ouço nos meus ouvidos A comida não tem sabor Se não tenho mais seu amor Nem sinto os cinco sentidos Por outro me trocastes Eu ouvi que me falastes Que me amava por demais Depois me deu um pé na bunda Que minha alma se afunda Fui levado aos vendavais! Escrito as 18:03 hrs., de 26/07/2017 por Nelson Ricardo

NA ILHA DO AMOR


Naquela ilha deserta Em que o sonho desperta Acordei de madrugada Com aqueles ventos medonhos Voltei dos profundos sonhos Abraçado a bem amada Estava na ilha mesmo E fiquei pensando a esmo Como é boa a liberdade Antes eu era um estressado Agora durmo abraçado Nos braços da felicidade O que eu quero mais da vida A que outrora foi sofrida Sou alguém que não desiste A paz que agora desperta No mundo da ilha deserta O amor ainda existe! Escrito as 15:05 hrs., de 26/07/2017 por Nelson Ricardo

COMO AS ÁGUAS DO OCEANO


Que linda é a vida Uma coisa ungida Pelo mestre Deus As paisagens deslumbrantes E a música do Guilherme Arantes Adormeço nos pensamentos meus É, mais o passado ta indo Sei que o fim, vem vindo O que que eu posso fazer A não ser curtir a vida Não existe outra saída É deixar acontecer Colhendo frutas no mato Eu encerro este relado A vida é sim um primor Tenho alguém que me amas Que agora mesmo me chamas É hora de curtir o amor! Escrito as 10:59 hrs., de 26/07/2017 por Nelson Ricardo

terça-feira, 25 de julho de 2017

COMO AS ÁGUAS DO OCEANO


Música clássico encanta Porque o ânimo levanta Como as águas do oceano Eu fico louco de paixão Mergulhando na ilusão Parecendo um cara insano Ainda mais quando te vejo Recordo daquele beijo Dentro do elevador Tu me chamando de sábio E mordendo o meu lábio Enchendo-me de amor Escrevo aqui sorrindo Espere que já estou indo Para irmos ao cinema No horário das oito e meia Assim que terminar a ceia E concluir este pema! Escrito as 19:37 hrs., de 25/07/2017 por Nelson Ricardo

PITADA E MEIA DE AMOR


Começar tudo de novo Com poesias para o povo Porque a poesia alimenta Falando sempre com calma Para fulminar a alma Pitada e meia de pimenta Fica mais interessante E é então que nesse instante Eu ancoro meu barquinho No porto da solidão Pra comer meu macarrão De molho, só um pouquinho Construo um castelo De um estilo muito belo Barreado e meio sem cor É nessa bela morada Que eu e minha amada Vamos viver de amor! Escrito as 17:38 hrs., de 25/07/2017 por Nelson Ricardo

segunda-feira, 17 de julho de 2017

UM FRANGOTE SAGAZ


Não tenho canceira nenhuma Então vai ai mais uma Das poesias que faço Levando minha saudação Num forte aperto de mão E também um abraço Eu sou da terra do poente Mas também do sol nascente A estrela D’alva é minha paz Nasci num barracão de zinco Quando faltavam dez pras cinco Virei um frangote sagaz Com uma franga em cada terreiro Já construí um bom poleiro Pras noites frias de geada Mas sou de fibra forte Quero uma franga do lado norte Pra ser minha namorada! Escrito as 16:38 hrs., 16:39 hrs., de 17/07/2017 por Nelson Ricardo

SEMPRE COM CRISTO


Se for, vou sentir saudade Vou para a grande cidade Visitar o templo da igreja Aquela criada por Deus Que recebe os pedidos meus Onde quer que eu esteja Quero com ele estar quisto Sou da Igreja de Jesus Cristo Dos santos dos últimos dias A quem entrego meus pecados E fiz convênios e tratados Eu quero o píncaro das alegrias Arrepender-me de meus erros Subindo de joelhos os serros Expressando os sentimentos meus Meus sacrifícios eu insisto Para estar sempre com cristo O filho amado de Deus! Escrito as 14:36 hrs., de 17/07/2017 por Nelson Ricardo

ITÁLIA DOS MEUS SONHOS


Música que adoça o coração A beleza de uma bela canção Da minha distante Itália Desde que deixei alem mar Dos canais de Veneza a navegar Lá tem um escultor que entalha A formosura de uma mulher Eu tenho um pensamento qualquer De entalhar uma madeira em flor O desenho da bela encantada Minha eterna namorada Alma gêmea meu amor Saudades do chás da tarde de Roma E da terra encantada de Verona Romeu e Julieta no cinema De Assistir no escurinho Mesmo pensando no beijinho Da boca de mel do meu amor! Escrito as 09:50 hrs., de 17/07/2017 por Nelson Ricardo

sábado, 15 de julho de 2017

A CANÇÃO DOS ROUXINÓIS


Se cheguei rodando estrada Da feira que tava armada Lá no schopping bulevar A apresentação tão linda Tinha cada mulher mui linda Só no salto a desfilar Retornei com o peito em flor Lá encontrei com meu amor O amor que nunca foi meu A amada que me esnobou E aí, nada pra mim sobrou Então o coração adoeceu Seja lá o que Deus quiser Que em um outro lugar qualquer O que é meu sei que ta guardado Lá no estado de Ilinóis Que é o canto dos rouxinóis A canção de um homem apaixonado! Escrito as 17:39 hrs., de 15/07/2017 por Nelson Ricardo

sexta-feira, 14 de julho de 2017

A ESTRELA DALVA


Pra não dizer que não mandei flores Eu sou da escola dos mil amores Lá do alto do beleléu É assim que me identifico E ainda por cima me certifico De que vou acampar lá no céu Numa noite bem estrelada Arranjar uma namorada A estrela Dalva quem sabe Pra mergulhar no mundo dela Sei que é a estrela mais bela E que uma possibilidade se abre De eu trazer a Dalva embora E já está chegando a hora E a essa atitude eu me imponho Porque sonhar não custa nada A Dalva será minha amada Vou correr atrás desse sonho! Escrito as 19:46 hrs., de 14/07/2017 por Nelson Ricardo

quinta-feira, 13 de julho de 2017

A VELA VERMELHA


Matracando as coisas em casa E olhando o vermelho da brasa Da lenha que queima na lareira Eu sinto um roçar de perna O que provoca uma vontade eterna De ver quem é a roçadeira E vejo que é uma perna feminina Da que ainda pode se chamar menina Porque está buscando travessuras E a coisa deve de esquentar E então eu pulo para abraçar Levando a sedução às alturas E aí que quero porque estou gostando A vela vermelha, o pavio queimando E ali mesmo no chão naquela esteira Dois corpos ao ápice da sedução Foi uma sena explícita de paixão Numa noite de luar de quinta feira! Escrito as 20:16 hrs., de 13/07/2017 por Nelson Ricardo

NAS GALHAS DA CEREJEIRA


Pois então lá vai mecha Encosta a porta, fecha E agora estamos só nós dois Você aceita uma flor? Vamos fazer uma história de amor A minha vida eu te conto depois Fiquei doido ao te conhecer Senti que posso merecer Sua presença em minha história Viver sem ti é um castigo Aceita se casar comigo? Vamos dividir os louros da glória E a cama que é larga de mais Ouvindo o canto dos pardais Nas galhas da cerejeira Quero de levantar do solo Te carregar no colo Pra te amar a vida inteira! Escrito as 15:40 hrs., de 13/07/2017 por Nelson Ricardo

DE ONDE QUE VEM A SAUDADE


De onde que vem a saudade O algoz da maldade Que me dá vontade de dormir Sem acordar nunca mais Perder-me por trilhas mundiais Pois é pra lá que eu quero ir A não ser que ela venha Tocar fogo e botar lenha Quero ela do jeito que for Sem ela não sei viver Eu prefiro morrer Sem o seu amor Fonte que inspira aos desejos De quem se alimenta com beijos Porque é isso que o coração quer Para os raios a tal saudade Quero o reino da felicidade A vida e a alma de uma mulher! Escrito as 11:15 hrs., 13/07/2017 por Nelson Ricardo

quarta-feira, 12 de julho de 2017

UM PLANETA DOIDO DE AMORES


Minha vida é escrever poesias Seguindo por diversas vias No sentido das variações São águas do mar que passam Enquanto que as horas ultrapassam Por todas as estações Girando junto com a terra Faça paz ou faça guerra Por entre alamedas de flores Por entre barcos de namorados No mundo dos apaixonados Do planeta doido de amores E eu caí nessa rede Estou morrendo de sede Pelos beijos de uma morena Que me sacia os desejos Quase nos fundimos em beijos Nossa vida é, um verdadeiro poema! Escrito as 16:15 hrs., de 12/07/2017 por Nelson Ricardo

BOMBEIRO DO AMOR


Morena dos cabelos longos Bom pra espantar pernilongos Quando nas noites sem lua Chama-me aos aconchegos Nos acomodamos aos sossegos Que importa o barulho da rua Nasceu a brotou lindona Cabelos lisos como os de Madona És agora a rainha da beleza Inda bem que mora aqui em casa E o nosso amor é fogo em brasa Sou seu bombeiro com certeza Minha mangueira é comprida Que sempre permanece erguida Sou o bombeiro bem dotado E a galera vai gritando, nossa! Como essa mangueira é grossa Eu chego, entro e já vou apagando! Escrito as 10:05 hrs., de 12/07/2017 por Nelson Ricardo

terça-feira, 11 de julho de 2017

O GRANDE REI DA MATA


Quanta alegria que sinto Falando a verdade não minto As flores desabrocham pra mim E os pássaros fazem serenatas Sinto-me o grande rei das matas E eu quero que continue assim Por que foi assim que pedi a Deus Ele respondeu aos apelos meus Dizendo, filho você merece Porque cumpre com meus mandamentos Ponho no teu peito sentimentos Que sei que tua fé em mim cresce Eis tua parceira a tua Eva Por favor receba e leva Por todo o lugar que tu for Amem a eterna humanidade Curtam aí o reino da felicidade Sobre o tema eterno do amor! Escrito as 17:56 hrs., de 11/07/2017 por Nelson Ricardo

LOUCURAS ENGAVETADAS


Só o silencio nos ouvidos De longe ouço os gemidos Das almas lá do inferno Boto fogo na lareira E me deito sobre uma esteira Fugindo do frio do inverno Só o silencio de outros mundos E o ronco dos sonos profundos Arrebatam minha euforia De emoção quase desmaio Vou na praça soltar papagaio E resplandecer minha alegria Porem volto pra beira do fogo Ligo a tevê para ver o jogo Da copa do mundo dos planetas Num dia de tanto abandono E antes de pegar no sono Tranco minhas loucuras na gaveta! Escrito as 14:24 hrs., de 11/07/2017 por Nelson Ricardo

segunda-feira, 10 de julho de 2017

NA CANÇÃO DOS PASSARINHOS


Essa morena clara Verdadeira jóia rara Que apareceu em minha vida Dando o tom de nosso passo Agarrou-me pelo braço E me mostrou a saída Para um passeio na cidade Sobre o ar da liberdade Na alameda da cascata A sua voz não me enerva No fim ganhamos a selva E fomos morar na mata Na canção dos passarinhos De baixo de amor e carinhos E de liberdade incontida Nos alimentamos de emoção Vivendo num só coração Em prol do amor e da vida! Escrito as 19:45 hrs., de 10/07/2017 por Nelson Ricardo

OS OLHOS DA LIBERDADE


Que saudades que estou Até uma lágrima rolou Dos olhos da liberdade O tempo levou embora Ai meu deus e agora Essa malvada saudade Que se apossou do meu peito Que machuca e não tem jeito Ela demora e não vem Ai ai ai meu Deus do céu Será que foi-se ao beleleu O amor de mim não mais tem? Vejo nuvens de lágrimas no espaço Já não sei mais o que faço Se meu amor não volta mais Vou então ascender uma vela E fazer uma oração pra ela Ouvindo o canto dos pardais! Escrito as 16:44 hrs., de 10/07/2017 por Nelson Ricardo

PENSAMENTOS VÃO PRO AR


Pensamentos vão pro ar No barquinho a navegar Pelas águas do pensamento Para os mares se Deus quiser Sereias em forma de mulher Que têm alma e sentimentos Lá vou eu nesse barquinho Absolutamente sozinho Com os remos da ilusão Vou em busca do meu eu De algo que se perdeu Levando minha recordação De onde eu vim para onde vou Pois pouca coisa sobrou E o pouco já vai terminando Só as estrelas e o azul do céu E o vento levou meu chapéu Encontro-me nessa terra delirando! Escrito as 10:15 hrs., de 10;07/2017 por Nelson Ricardo

sábado, 8 de julho de 2017

UMA PÉTALA DE MAL ME QUER


Aquela flor tão cheirosa Magnânima e caprichosa Cabelos longos até a cintura Que ainda vejo no retrato Na cascata no meio do mato Com toda a nudez da formosura Abraçada ao meu corpo E eu nos braços do conforto Natureza em forma de mulher A sereia dos meus encantos E abençoada por todos os santos Uma pétala de mal me quer Venha e entre pela janela Olhar meigo de cinderela Tens o néctar de uma flor Gostaria de ser o primeiro Quero-te no meu travesseiro Para uma noite inteira de amor! Escrito as 15:49 hrs., de 08/07/2017 por Nelson Ricardo

sexta-feira, 7 de julho de 2017

EU VOU BUSCAR VOCÊ


Eu vou buscar a felicidade Sem desvio e sem maldade Eu vou buscar seu desejo Eu vou buscar a aquarela Para te pintar tão bela Com apenas um beijo Um beijo super prolongado De quem vive apaixonado E em outra coisa não pensa Eu vou buscar você pra mim Mais uma flor no meu jardim Você é a minha crença O que é que eu posso fazer Se não tiver o prazer E a visão colorida É a ti que me refiro És tu o ar que respiro Você é simplesmente minha vida! Escrito as 10:10 hrs., de 07/07/2017 por Nelson Ricardo

quinta-feira, 6 de julho de 2017

NO SILENCIO DA TARDE FRIA


No silencio da tarde fria Até meu dente rangia Deitei em baixo do edredom Porem em cima da cama é claro E foi aquele momento raro Que compartilhamos o bom bom Eu e ela abraçados Com nossos corpos suados E dois corações unidos Na solidão daquele quarto E nem assim fiquei farto Quase perdi meus sentidos Naquela coisa tão louca Os beijos quentes da boca De minha eterna e querida amada Foram vinte e sete anos de amor Ela se foi e só me deixou a dor Hoje o lado dela na cama está gelado! Escrito as 16:05 hrs., de 06/07/2017 por Nelson Ricardo

UMA LÁGRIMA QUE NÃO CAI


Aqui eu chego e vou mandando brasa Tanto tempo fora de casa Ai ai meu bem, ai ai meu pai Minha vida é muito louca Agonia no peito não é pouca Uma lágrima de amor que não cai Coração duro de mais As pessoas não são iguais Eu fui rejeitado faz tempo Perdido por este mundo Cai no poço e fui ao fundo Num lugar onde não tem vento Tão desprezado pelo amor Que meu peito sangra de dor Trago uma saudade eterna Do grande amor que me chutou E a única coisa que sobrou Foi vir morar numa caverna! Escrito as 11:13 hrs., de 06/07/2017 por Nelson Ricardo

quarta-feira, 5 de julho de 2017

EU NÃO SOU CACHORRO


Ta faltando sono O vira lata sem dono Que também não tem dona Que deita levanta Bebe um copo de fanta Quando então abandona A casinha de cachorro Só resta pedir socorro E um leitinho na tigela Embora disso não goste Sai e faz xi xi no poste E não aparece uma cadela Eu não sou cachorro não Mas sou tratado como cão Cadela nenhuma me quer Eu sou um homem sozinho A procura de um carinho De uma linda mulher! Escrito as 23:37 hrs., de 05/07/2017 por Nelson Ricardo

O ORVALHO GELADO DA NOITE


Eu fui jogado porta fora E me pergunto, e agora O que é que eu faço desta vida Se não gosto de trabalhar Agora não tenho onde morar To num beco sem saída Nem uma mesa pra escrever Sou obrigado a sorver O orvalho gelado da noite Agora sou o poeta da rua Namorado eterno da lua Sempre de baixo do açoite Misturado aos passarinhos Sem ter o gosto dos carinhos Mas seja do jeito que for Na calada da noite eu choro Então volto aos teus pés e imploro Querida, eu preciso do teu amor! Escrito as 18:02 hrs., de 05/07/2017 por Nelson Ricardo

PASSARINHO NO TELHADO


Com muita tranqüilidade As barreiras da maldade Vou tentando ultrapassar Passarinho no telhado Sou menino apaixonado Com intenção de namorar A garota que mora ao lado Chego subir no telhado Para espiar ela no banho A mãe dela correu comigo E minha mãe me pôs de castigo Em dois pedaços de estanho Mas o que eu posso fazer Meu corpo chega a ferver Quando vejo os olhos dela Na janela do jardim Mandando beijos pra mim Ta pra nascer coisa mais bela! Escrito as 14:12 hrs., de 05/07/2017 por Nelson Ricardo

terça-feira, 4 de julho de 2017

A PROCURA DO ELO PERDIDO


Lentamente eu embarco Pra passar em baixo do arco Do arco-íris colorido E apanhar as folhas do céu Sem perdeu o meu chapéu E muito menos o sentido Sairei do topo da serra Não quero morrer na guerra Que não fui eu que provoquei Já estou amarrando meu cinto Falo a verdade e não minto A viajem que eu tanto sonhei A procura do elo perdido E eu já ouço o gemido Da verdade e do bom senso Isso que meu coração diz Eu quero ser um dia feliz São nessas coisas que eu penso! Escrito as 11:41 hrs., de 04/07/2017 por Nelson Ricardo

segunda-feira, 3 de julho de 2017

NAS ÁGUAS DO MAR DO AMOR


No meio da noite É que os laçassos do açoite Não me deixam dormir Porque estou sozinho Na ausência dos carinhos Dela que me fazem grunir Que nem um cão vira latas Então me considero um dos piratas Nas águas do mar do amor E é lá que eu vou te roubar E pedir pra ti namorar Porque essa cama me dá calor Fostes pra voltar e não voltou E nossa fonte do prazer secou E o que é que eu faço agora Vou voltar dormir de novo Então atenção meu povo Eu fecho aqui e dou o fora! Escrito as 02;02 hrs., de 04/07/2017 por Nelson Ricardo

OS BEIJOS DE TUA BOCA


Os beijos de sua boca Deixam minha alma louca Como nunca vi na vida Traz o gosto de tua alma Coisa que traduz a calma E mostrando-me a saída É quando eu pego na tua mão A do lado do teu coração Pra sentir o teu abraço nobre Bela canção de tua voz E eu navego procurando a foz Apenas como um navegante pobre Quero desembocar no teu mar Abandono meu barco pra nadar Pelas entranhas do teu ser Quero desdobrar-te bela fêmea Te descobrir como alma gêmea Quero ser o teu herói do prazer! Escrito as 15:19 hrs., de 03/07/2017 por Nelson Ricardo

sábado, 1 de julho de 2017

MINHA ALMA ENVENENADA


Minha alma envenenada Porque aquela namorada Entortou minha pobre vida E eu não sei mais o que fazer Acho que vou botar correr Não vejo outra saída Ela só me faz trabalhar Já chegou até me surrar Que ainda dói a tunda Me mandou dar o fora Me jogou porta fora Me dando um pé na bunda E hoje eu vivo na sarjeta Não tenho nem gaveta Pra guardar os meus poemas De tanta tristeza eu choro Quero ver se um dia me escoro A sobra de uma dessas morenas! Escrito as 14:59 hrs., de 01/07/2017 por Nelson Ricardo