sábado, 22 de abril de 2017

UMA MÚSICA DE PAIXÃO


Toca uma música de paixão Faz-me voar na ilusão É nisso que estou pensando Sem poder voltar ao passado Mesmo assim sou conformado Nesta tela digitando A imaginação de um poeta Seguindo a rima direta E sem errar o compasso Mais um poema eu almejo Na necessidade de um beijo E na falta de um abraço O pobre coração que chora Noite e dia ele implora Mas renasce ao amanhecer Então ta tudo bem Quem sabe para o ano que vem Alguma coisa acontece! Escrito as 19:55 hrs., de 22/04/2017 por Nelson Ricardo

SONHO DE LUZ


Eu sei que está muito quente É que de repente A gente se entusiasmou Com o seu perfumo de flor E nossos amassos de amor Uma paixão mútua brotou Nenhum de nós somos culpados É que nascemos predestinados A nos amar eternamente Penso em você de noite e dia Na ternura e na harmonia Sonho de luz e sol nascente Se a canoa não virar Hoje eu vou te namorar E não me responsabilizo O livre arbítreo é um jogo E se a coisa pegar fogo Eu posso perder o juízo! Escrito as 13:51 hrs., de 22/04/2017 por Nelson Ricardo

A MÚSICA DOS TEMPOS


Se ouço a música dos tempos Aquela que leva pelos ventos Para pousar nos ouvidos orientais Através dela eu envio sentimentos E vou apagando tormentos Ficando as cinzas ocidentais Posso até chorar de saudade Dos tempos em que a felicidade Morava o meu coração Porque agora ela mora longe E nestes dias de hoje Eu vivo na doce ilusão De ainda encontrar aquela Que sempre foi tão bela Meu amor por quantidade E hoje está marcando o lugar Onde iremos nos encontrar No reino da eternidade! Escrito as 10:39 hrs., de 22/04/2017 por Nelson Ricardo

sexta-feira, 21 de abril de 2017

MEU LINDO CACHORRÃO


E eu entro assim cantando E na letra venho citando O teu nome que sai da boca E flutua pelos ares Venha para cá me contares Essa sua atitude tão louca De pular no meu pescoço Durante todo o alvoroço Gritando que me ama E levando-me para a praia Jogaste fora tua saia E até hoje me chama De meu lindo cachorrão Bota fogo na paixão E ainda queima o sutiam Me beija e me dá chazinho Me tratando com carinho Durante toda a manhã! Escrito as 16:13 hrs., de 21/04/2017 por Nelson Ricardo

quinta-feira, 20 de abril de 2017

COMO PANDORGAS AO VENTO


É assim que eu gosto No marasmo não aposto Prefiro coisas pra cima Como pandorgas ao vento O que envelhece ao tempo E o frescor da neblina Olhando as ondas do mar E quem sabe namorar Com a pessoa que se ama É tudo isso que eu quero E tudo mais que considero O aconchego da cama Por de baixo do coberto E então fazer amor Na mais tenra ternura Viva o fogo da paixão Quero me afogar na sedução Muito desvairado na loucura! Escrito as 17:02 hrs.., de 20/04/2017 por Nelson Ricardo

DEPOIS DE LONGA JORNADA


Chegando assim bem cansado E um tanto quanto acabrunhado Deixando o pó da estrada Para a cadeira de balanço Pra ter o merecido descanso Depois de longa jornada De a pé, de navio ou de avião Ainda ouço a canção De Londres ou Nova Yorque De setenta anos a traz Ainda me faz dançar no más Ao som da moçada do roque Deixe-me deitar em tua rede E saciar a minha sede Nos beijos molhados teus Permita-me por favor Mais umas noites de amor Quero envolver-te nos braços meus! Escrito as 15:00 hrs., em ponto de 20/04/2017 por Nelson Ricardo

quarta-feira, 19 de abril de 2017

AO ENCONTRO DO REI


Mais uma vez Se aproxima o fim do mês Os dias passam correndo Quando menos se espera Então o ano já era E nos todos envelhecendo É ou não é verdade Digamos que a felicidade Esteja no final da linha Para quem for merecedor Entrará no mundo de amor Lá onde mora a rainha Na companhia do rei Exatamente eu não sei A morte não será o fim E terei uma nova morada Onde minha querida amada Estará esperando por mim! Escrito as 20:14 hrs., de 19/04/2017 por Nelson Ricardo

VAMOS EMBORA TETÉIA


Vamos embora tetéia Abandona essa platéia E venha virar uma artista Pra dançar no meu pedaço Primeiro me dê um abraço E um sorriso de otimista Embarque aqui na minha asa Pra conhecer minha casa E ser a rainha dela Te escolhi na multidão És minha eterna paixão Morena fogosa e bela Desse jeito eu não agüento É que quase me arrebento E meu coração se agita E quase ferve de calor É a expressão do meu amor Por você mulher bonita! Escrito as 10:07 hrs. De 19/04/2017 por Nelson Ricardo

terça-feira, 18 de abril de 2017

AS TRISTEZAS PRAS COCUNHAS


As tristezas pras cocunhas À pouco cortei as unhas Água do banho com perfumes Pois vou ver a namorada Que está sempre ornamentada Deus me livre dos ciúmes Confiança em primeiro lugar Eu preciso me preparar Pra pedi-la em casamento Quero sair da solidão Chega de viver na ilusão Vamos morar no apartamento Que fica de frente pro mar Quero sempre namorar Um brotinho se abrindo em flor Que nasceu sob medida Alma gêmea da minha vida Para sempre meu grande amor! Escrito as 20:21 hrs., de 18/04/2017 por Nelson Ricardo

NESSES DIAS DE OUTONO


Nesses dias de outono Perco noites de sono Só olhando pra você Por de baixo do edredom Meu amor comendo bombom Enquanto eu vejo teve O filme da madrugada E na manhã orvalhada Você me chama de benzinho Então se senta no meu colo E é claro que não me amolo Com o doce mel do beijinho Que se me dá mordendo a boca E ainda fala com voz rouca Que me castiga como açoite E mesmo fora de hora Se diz, vamos fazer agora O que não foi feito de noite? Escrito as 14:25 hrs., de 18/04/2017 por Nelson Ricardo

A MAGIA DE TUDO


Quando são dez e três Se encaminhando para o fim do mês Estou pensando no outrora De como o tempo corre Tudo nasce e tudo morre O nosso futuro é agora Viver o momento presente Admirando ao sol nascente E o por do sol com certeza O luar da noite é belo E se Deus bater o martelo Entenderemos toda a beleza Da magia pura e divina Porque Deus escreve e assina E sua lei é imutável Se ele mandou tem que obedecer Então que venha o sol nascer Que é a magia formidável! Escrito as 10:13 hrs., de 18/03/2017 por Nelson Ricardo

segunda-feira, 17 de abril de 2017

NO QUEIMAR DO PAVIO


Resolvido o meu problema Vou escrever um poema Não estou mais angustiado Computador se atualizando E eu me estressando Mais agora conformado Tudo voltou ao normal A esfera universal Me mandou ficar tranqüilo A vida segue seu curso Logo mais descansa o urso E só pensando naquilo Coisa boa de se ver E de se sentir o prazer Na plenitude da escuridão Viva eu e viva ela No queimar do pavio da vela A gente se ama de paixão! Escrito as 10:46 hrs., de 17/04/2017 por Nelson Ricardo

domingo, 16 de abril de 2017

A LUZ DO CANDELABRO


E aí a coisa se ascendeu E todo mundo percebeu Que era a luz do candelabro Me ofereceram pipoca Comi dois amor carioca E então meu peito eu abro Pra amiga sentada meu lado Porque fiquei apaixonado E enamorado fiquei Os olhinhos dela piscando E eu já fui tascando Um beijo na bela eu dei Ela passou a mão ne mim E respondeu, claro que sim Vamos ao meu apartamento Que fica no quinto andar Que hoje eu quero te depenar No clamor do encantamento! Escrito as 15:15 hrs., de 16/04/20127 por Nelson Ricardo

sábado, 15 de abril de 2017

NA NOITE DOS CASAIS


Eu quero dançar sim senhor E sentir o calor Do sacudir de uma canção Agora são quinze e trinta e dois Eu te ligo depois Te dizendo sim ou não Se vai ter baile logo mais Na noite dos casais E também dos desocupados Vou vestir meu terno branco Lá pelas dez eu me arranco Com perfume dos dois lados Das orelhas da cabeça E antes que a barba cresça Eu vou colher uma flor Que nasceu na beira da rua E quando abrir o clarão da lua Vou encontrar com meu amor! Escrito as 15:44 hrs., de 15/04/2017 por Nelson Ricardo

UMA NOITE DE SERESTA


Quem sabe uma noite seresteira De baixo de um pé de figueira Com aquele violão tentador Depois de um dia de cansaço Queria te dar um abraço E de chamar de meu amor A grande lua está cheia Convidando pra ceia O outro nome do jantar Iluminado por velas Na noite das caravelas Sobre as ondas do mar Pelo menos em pensamentos Na mistura de sentimentos És o amor que se queres Numa noite de muito calor Eu queria distribuir meu amor Pra mais de quinhentas mulheres! Escrito as 11:18 hrs., de 15/04/2017 por Nelson Ricardo

quinta-feira, 13 de abril de 2017

QUASE UM SÉCULO


Quase um século se indo E tudo na vida sumindo Tantas coisas que eu errei Como um gato estirado no chão Sobrevivi em cada trovão Graças a deus nunca despenquei No despenhadeiro da vida Sempre procurando uma saída Nas asas de uma ave de rapina E foi nessa que um dia cacei E pra sempre encarcerei A verdadeira obra prima Que foi se chegando com calma E eu desvendei sua alma Foi o remédio que me curou Da doença da solidão E no meu peito brotou paixão Porque foi o amor que voltou! Escrito as 15:48 hrs., de 13/04/2017 por Nelson Ricardo

AQUELE TRIANGULO


Estou começando ficar com fome Quando a manhã simplesmente some Anunciando mais um meio dia Corre o tempo e corre o mundo Eu me jogo indo até o fundo Pra me desfazer da agonia Que entristece a semana inteira E eu ponho tudo numa peneira O que é farelo vai embora E o que fica em cima é pureza Como pura é a nobreza E volta meiga sem demora Para a coleira que deus lhe deu A minha boca ela mordeu Diz que fervendo de torpor Então me salvou de morrer a míngua E eu fui descendo a minha língua Procurando o triangulo do amor! Escrito as 11:28 hrs., de 13/04/2017 por Nelson Ricardo

quarta-feira, 12 de abril de 2017

VAMOS A BAILAR


E vamos começar de novo Falando alto a esse povo Do imenso prazer de voltar Recitado meus versos heridos Derretendo el carmim incendido Vienga, vamos a bailar Que a noite promete ser boena Fundir-me nos braços dessa morena Que está me olhando sem jeito Que até nem sei explicar Eu só sei que vou a namorar E apertar dentrodo peito Seja lá o que deus quiser Mas hoje esta mulher Vai-se embora comigo Viver sem ela é grande dor Mas com ela é ter o amor Pra nunca mais ter castigo Escrito as 15:57 hrs., de 12/04/2017 por Nelson Ricardo

terça-feira, 11 de abril de 2017

A SANTA AMADA POESIA


Rapadurinha de amendoim Garrafa d’água, TIM TIM E viva a sombra minha gente Eu sou o poeta do amor Um praticante de escritor Cheguei da rua ofegante Vi um passarinho na praça Todo feliz cheio de graça Tonalidade cor marrom O tempo por hoje não chove Entrei numa um e noventa e nove Para comprar um bom bom E adoçar a minha boca Essa caminhada muito louca Em fim cheguei cansado Sentei pra por em dia A santa amada poesia A todos muito obrigado! Escrito as 15:37 hrs., de 11/04/2017 por Nelson Ricardo

A SEIVA PURA DO AMOR


As águas dessem ao mar No balé sublime a bailar E lá vai o barquinho sem destino Vai o meu santo protetor Vai á seiva pura do amor E o meu instinto de menino A sonhar com a garotinha A filha caçula da vizinha Do banco escolar ao lado A meninice que dorme na fronha E é com ela que ele sonha Um dia ser seu namorado Que tem tudo que ele quer Será uma linda mulher Tomara que Deus permita Que de todos os seus desejos Brotem amor e beijos Com essa menina bonita! Escrito as 10:29 hrs., de 11/04/2017 por Nelson Ricardo

segunda-feira, 10 de abril de 2017

AMOR DE MIL NOITES


Estou em falta eu sei Desde o tanto que te amei E que continuo te amando Rodei o mundo por nada Mas pra minha namorada Com sede estou voltando Do néctar dos seus beijos Quase morrendo de desejos E sei que agora vai Sem pecado e sem pudor Coração cheio de amor No momento em que a chuva cai Espero não ser tormenta Toda a vontade aumenta E a saudade é um açoite Saudade dos teus abraços Quero-te nos meus braços Para o amor de mil noites! Escrito as 19:54 hrs., de 10/04/2017 por Nelson Ricardo

sábado, 8 de abril de 2017

O BOTO E A SEREIA


E por falar em sereias Eu vou pisando sobre areias Até chegar lá na beirinha Do lago chamado oceano Eu venho aqui a cada ano Pra uma mergulhadinha A sereia estava esperando Ao sol forte se bronzeando Pediu-me que passasse bronzeador Eu a levantei do solo E a carreguei no colo Trocando juras amor Eu sou chamado botão Porque nasci pra ser grandão Sou o tal que cuida das sereias Por todas as fontes d’águas Faço com amor e sem mágoas Vigiando os rios e as areias! Escrito as 17:23 hrs., de 08/04/2017 por Nelson Ricardo

ROMANCE DOS DEUSES


Sábado de manhã, chuviscando Simplesmente convidando A um romance dos deuses Onde as deusas viram alvo Já sou maduro e calvo Quero repetir muitas vezes Quando um romance vale a pena Que seja matéria de poema Aflorando todos os desejos E eu como sou amado por Deus Quero a deusa nos braços meus Trocando juras com beijos Fogo da paixão nas alturas Recordando as culturas Dos deuses da eternidade Eliminando do peito a dor Numa eterna vida de amor Na estrada da felicidade! Escrito as 10:20 hrs., de 08/04/2017 por Nelson Ricardo

sexta-feira, 7 de abril de 2017

A BELA DO ESPELHO


A sua imagem tão linda Que posso ver ainda A simpatia em pessoa De figurino tão belo Em tom verniz e amarelo Que no bairro inteiro ecoa Enquanto eu descanso na rede Agora eu sinto sede Dos seus lábios vermelhos Chega de tanta maquilagem Deixe eu ver se é miragem Diga adeus aos espelhos És bela por natureza E ainda ostenta nobreza Eu sou apenas um barnabé Se me abrigasse no seu conforto Eu queria escalar esse corpo A começar pelo lindo pé! Escrito as 17:22 hrs.., de 07/04/2017 por Nelson Ricardo

A MAÇAM DO PECADO


Se a maçam é do pecado Eu me sinto endividado Até as pontas do cabelo Eu quero me casar com ela Esta é a Eva mais bela Que amarei com todo zelo E eu sou o Adão do momento Veio a voz do firmamento Dizendo que estou ferrado Comerei o pão que o diabo amassou Pois outra coisa não sobrou Nem manteiga e nem melado Eva, venha ter comigo Vamos enfrentar nosso castigo Aumentando a humanidade Moraremos nas cavernas É na confluência das pernas Que está a nossa felicidade! Escrito as 14:43 hrs., de 07:04/2017 por Nelson Ricardo

O MILAGRE ACONTECEU


Estou abrindo a tela Pra ver se falo com ela Que está do outro lado Da minha imaginação Eu vivo sempre na ilusão De seresteiro deslumbrado Que no mundo do abandono Na madrugada sem sono Sonhando acordado com ela Num lindo flerte de paixão De longe vem uma canção Toca a campainha na cancela Por quem responde aos meus apelos Trato ela com tantos zelos Choro então que nem criança Fui atendido por Deus Hoje ela mora nos braços meus Quem espera sempre alcança! Escrito as 09:07 hrs., de 07/04/2017 por Nelson Ricardo

quinta-feira, 6 de abril de 2017

COLHENDO ESTRELAS


A música encanta Mas a necessidade é tanta No silencio do meu sossego Na falta do grande amor Eu faço do cobertor Meu prestimoso aconchego A lua está pela metade E meu peito enche de saudade Então eu vou seguindo pelas Principais e floridas ruas Eu que tenho já muitos milhões de luas E uma incontável quantia de estrelas A amada disse que ainda volta Vou preparar uma escolta De criados para buscá-la Ela que venha pela estrada Que estará toda enfeitada E entre pelo tapete da sala! Escrito as 20:34 hrs., de 06/04/2017 por Nelson Ricardo

LA DONDE CRESCE LA PALMA


La donde cresce La palma Peço que me ouça com calma Sobre tudo que vou dizer Presa está em meu coração Uma enorme mancha de paixão E que só tende a crescer Por aquela linda cubana Que foi mais de uma semana Que a gente por de mais se amou E foi lá em Guantanamera Na sombra fresca da paineira Que a pomba branca piou Das garras dos traidores Deixei um rastro de flores Fugindo pelo oceano a nado Adeus pra sempre Guantanamera Adeus cubana alem fronteira Te deixo de coração despedaçado! Escrito as 18:07 hrs., de 06/04/2017 por Nelson Ricardo

VOU LIGAR PRA ELA


Então vou ter que dar uma ligada Já que a minha namorada Foi e se esqueceu de voltar E é por isso que eu estou muito triste E ela sempre insiste De esquecer de me ligar Mas que mulherzinha esquecida Esses dias ela tomou formicida Achando que era remédio Foi então que passou mal Tive que levar ao hospital Só de lembrar eu tenho tédio Esquece de voltar ao lar Depois fica a criticar Dizendo que não sou de nada Que não pego mais no tranco E seu gritar me passa o tamanco Mesmo assim eu amo a minha amada! Escrito as 15:53 hrs., de 06/04/2017 por Nelson Ricardo

quarta-feira, 5 de abril de 2017

ESTRADA ESPINHENTA


Eu vou concentrado na luta Por uma estrada que não é curta Mas toda encrespada de espinhos Que perfuram meus pés sem perdão Enquanto eu de alma e coração Sigo sem ao menos os míseros carinhos Da mulher que me abandonou E dela simplesmente sobrou A tristeza e a escuridão da alma Que vive tropeçando no escuro E eu espero que no futuro Eu possa chegar com calma Para dizer eu te amo Porque já faz mais de um ano Que eu perdi o meu rumo As rédeas da felicidade Na estrada da triste realidade Cometi erros eu assumo! Escrito as 15:01 hrs., de 05/04/2017 por Nelson Ricardo

AI LOVIO MEU AMOR


Ai lovio meu amor Estou sentindo dor De tanta saudades de ti Aterrisse em meu quintal Que meu amor não te faz mal Pois desde o dia em que te vi Minha alma colou na tua Sonho que de noite a lua Ilumina nossos corpos sedentos Eu por cima e tu por baixo Amando à beira de um riacho E explodindo em sentimentos Estou te chamando à tempos Aproveite que os ventos Estão a nosso favor Por isso eu te proponho Venha, vamos realizar nosso sonho Tendo uma vida de puro amor! Escrito as 09:41 hrs., de 05/04/2017 por Nelson Ricardo

terça-feira, 4 de abril de 2017

EMBRIAGADO DE EMOÇÃO


Estou chegando neste condado Completamente embriagado Pelo efeito da paixão Desde os tempos dos carnavais E após os temporais Tomei vários litros de emoção Por ter sentido que ela Foi a alma gêmea tão bela Que invadiu meu coração Hoje me sinto alquebrado Por ter ficado de lado Depois de tanta emoção Dizem que ela mora por aqui Onde canta o bem te vi E o pica pau que faz buraco Quero encontrar essa dona Pra que me levante da lona Hoje não passo e um caco! Escrito as 14:22 hrs., de 04/04/2017 por Nelson Ricardo

O DEVER PLENO


Então eu escrevo um pouco Sobre esse mundo louco E até bem assustador Mas eu não quero saber disso Porque o meu compromisso É espalhar a semente do amor Que seria o contra veneno Na qualidade do dever pleno O homem precisa se recompor Dando adeus à vida mundana Porque o grande Deus te ama Com o mais poderoso amor Construindo a solidariedade E preservando nossa mocidade Uma luz divina em cada criança Bem, isso é o que eu penso Vamos procurar ter bom senso Sem perder a esperança! Escrito as 08:38 hrs., de 04/04/2017 por Nelson Ricardo

segunda-feira, 3 de abril de 2017

PASSEIO DE CANOA


Não fica se esfregando em mim Que a coisa não é bem assim Você me abraça, me morde e me beija E depois vai para outra mesa E volta contando proeza Entregando seu corpo na bandeja Veja, eu não quero compartilhar Eu quero apenas te amar Mas com exclusividade Eu exijo por favor, respeito Você pode dormir no meu peito Respirando felicidade Eu te dou tudo e mais um pouco Esse meu jeitão de louco No fundo sou gente boa E cheio de amor pra dar Entra aqui que eu vou te levar Para um passeio de canoa! Escrito as 20:38 hrs., de 03/04/2017 por Nelson Ricardo

MERGULHADO NA UTOPIA


Mergulhando na utopia É assim que a gente cria Coisas muito verdadeiras Como querer namorar com a lua Como se ela descesse na rua Para dançar de brincadeiras E aquela música que embala De deixar a gente sem fala Dançando a valsa de Viena Levantando o pó da rua Sob a claridade da lua Isso é ou não é um poema? Pois é, me serve um chá de amora Porque agora Eu vou dar de volta ao lar Sossegar o meu pito Porque chega de tanto agito Agora, já sou namorado da lua! Escrito as 18:0hrs., de 03/04/2017 por Nelson Ricardo

domingo, 2 de abril de 2017

AO LEMBRAR DA BOEMIA


E por falar em poesia Lembro eu da boemia No apogeu de minha vida Nos intervalos dos labores Ao cultivar broto em flores Porque a vida era mesmo florida Porem hoje os galhos murcharam E muitos até se quebraram Virando lenha para o fogo Lembro das belas serenatas Para as loiras e as mulatas Que aceitavam nosso jogo O choro romântico nas janelas Eu que aflorava por entre as belas Nos bairros pacatos da cidade Tudo aquilo com o tempo passou E a única coisa que sobrou Foi a maldita saudade! Escrito as 11:49 hrs., de 02/04/2017 por Nelson Ricardo

sábado, 1 de abril de 2017

A BORDO DO NAVIO DO AMOR


Estou poetando alegremente Exato quanto o ouvido sente O cantar de Los Montejo Linda música portenha Garçonete por favor venha Traga um prato de Alem Tejo Que talvez bacalhoada Que eu e minha namorada Estamos mui sorridente A bordo do navio do amor Sentindo no peito o calor De tudo que o coração não mente E o desejo aflora Mas eu acho que está na hora De nos recolher para o leito Porque se o amor se pratica Na noite que está mui rica Tudo com amor se faz bem feito! Escrito as 18:01 hrs., de 01/04/2017 por Nelson Ricardo

PITADA DE MÁGOA


Agora eu vou dar uma dura Num pedaço de rapadura E copo e meio de água Acabo de sair do lençol Num belo sábado de sol Mas com uma pitada de mágoa Porque a solidão cobre o meu ser E está para nascer Quem gosta da tal solidão Eu por acaso, corro dela Se for o caso, pulo a janela Mas esse troço comigo não E saio correndo rua a fora Pode ser a qualquer hora Até mesmo na escuridão O que não é nenhum segredo Que eu me escondo de medo Da maldita solidão! Escrito as 15:27 hrs., de 01/04/2017 por Nelson Ricardo